Tel: 016 39415110 | E-mail: grupar-rp@hotmail.com

Estaremos de volta em breve

Estamos trabalhando para trazer um melhor conteúdo


dias

horas

minutos

segundos

Receba novidades via e-mail

Sign up e seja o primeiro a receber novidades:

Copyright © Grupo de Pacientes Reumáticos de Ribeirão Preto e Região | Powered by Blogger
Distributed By Free Blogger Templates | Design by AZMIND | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com

quinta-feira, 16 de junho de 2011

AACD busca portadores de lúpus para pesquisa com um remédio novo

AACD busca portadores de lúpus para pesquisa com um remédio novo




O estudo avaliará a eficácia de um medicamento imunobiológico de aplicação subcutânea. Será feito ao mesmo tempo nos Estados Unidos e no Brasil, com o objetivo de conseguir a aprovação dos organismos oficiais para uso clínico. Podem se inscrever pessoas maiores de 18 anos que se tratam de lúpus eritematoso sistêmico com os remédios tradicionais e não venham tendo bons resultados.

por Morton A. Scheinberbg*



A Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), de São Paulo, seleciona portadores de lúpus eritematoso sistêmico para participar de uma pesquisa sobre a eficácia de novo tipo de medicamento imunobiológico, o subcutâneo, ou seja, que é aplicado sob a pele. Medicamentos imunobiológicos de aplicação endovenosa, é preciso destacar, já tinham sido aprovados nos Estados Unidos e no Brasil e vinham sendo usados no tratamento da doença, fazia alguns anos, com bons resultados. Agora se criou uma variedade de aplicação subcutânea. A vantagem dos medicamentos imunobiológicos sobre os usados tradicionalmente no tratamento do lúpus - anti-inflamatórios, antimaláricos, derivados de cortisona e imunossupressores - é que interferem só na produção de anticorpos pelo organismo, o que é chamado terapia-alvo, e provocam menos efeitos colaterais.



As pesquisas sobre a eficácia do novo remédio durarão 12 meses. Objetivam conseguir sua aprovação pelos organismos oficiais de saúde para uso clínico. Estão sendo feitas nos Estados Unidos e no Brasil. Aqui, são coordenadas e desenvolvidas pelo Hospital Roberto de Abreu Sodré, da AACD, em conjunto com os serviços de Reumatologia do Hospital dos Servidores e do Heliópolis, na capital paulista; da Universidade Federal Fluminense, do Rio de Janeiro; do Hospital São Lucas, da Pontifícia Universidade Católica, e do Hospital das Clínicas, de Porto Alegre (RS); do Hospital Geral de Goiânia (GO); do Hospital Universitário de Juiz de Fora (MG); da Santa Casa de Salvador (BA); da Pontifícia Universidade Católica e da Clínica Médica Bonfiglioli, de Campinas (SP).



Podem participar do estudo pessoas de todo o País maiores de 18 anos, de ambos os sexos, que se tratam de lúpus eritematoso sistêmico da forma tradicional e não conseguem bons resultados. Terão de comparecer uma vez por mês ao local para o qual se inscreverem para passar por avaliação e tomar o remédio. Por isso, o ideal é que se inscrevam na instituição da cidade onde moram ou na da cidade mais próxima. Interessados podem obter informações e se inscrever pelo e-mail vbrasileiro@aacd.org.br ou pelos telefones (011) 5576-0922 e 5576-0788.



O lúpus, vale relembrar, é uma doença autoimune, ou seja, em que o organismo produz substâncias que atacam tecidos e órgãos dele mesmo. Há dois tipos: o eritematoso, que ataca só a pele, e o sistêmico, que ataca órgãos importantes como articulações, rins, coração, sistema nervoso central e células do sangue. Pode manifestar-se em crianças e adultos jovens. É mais comum na mulher. Manifesta-se em 0,1% a 0,3% da população. Calcula-se que haja 10 milhões de portadores no planeta, dos quais 500000 a 600000 no Brasil.



Os sintomas da doença são: lesões de pele; dores articulares e inflamação sobretudo dos punhos e das articulações das mãos; mal-estar; e queda de cabelo.



O ideal é procurar um bom clínico geral ou um reumatologista à primeira indicação e se tratar. Com isso, o portador pode evitar tanto problemas graves, como a falência dos rins, quanto a morte por insuficiência cardíaca devido à inflamação do pericárdio, membrana que envolve externamente o coração.

* Morton A. Scheinberg, pesquisador de doenças autoimunes na capital paulista, é PhD em Medicina pela Universidade de Boston, nos Estados Unidos, professor livre-docente de Imunologia na Universidade de São Paulo, diretor do Centro de Pesquisas Clínicas do Hospital Roberto de Abreu Sodré, da AACD, e médico clínico e reumatologista do Hospital Israelita Albert Einstein. E-mail: morton@osite.com.br

3 comentários:

Doação Elvis Presley disse...

Meu nome é Sônia, sou portadora do lupus a quase 3 anos, sofro muito, sinto muitas dores articulares, o que faço.

Doação Elvis Presley disse...

Meu nome é Sônia, tenho 45 anos, não consigo fazer mais nada na minha vida, sou portadora do lupus, não sei o que fazer, as dores são d +, o que faço?
Meu facebook é,sdpds1066@hotmail.com

Mariana disse...

Ainda não se descobriu a cura para essa doença e um grupo de doutores de cardiologia em porto alegre estavam investigando sobre novos remédios.

Medicamentos Biológicos, agora Planos de Saúde Paga!

O GRUPAR-RP - Grupo de Apoio ao Paciente Reumático de Ribeirão Preto é uma entidade sem fins lucrativos, fundada por pessoas portadoras dos mais diversos tipos de doenças reumáticas e apoiada por médicos reumatologistas da cidade e das faculdades de medicina de Ribeirão Preto.

O Grupar-RP tem por núcleo o Grupo EncontrAR e juntos realizam o Projeto Blogueiros da Saúde.

Qualquer publicação neste blog, trará no rodape do post a fonte, com Link para o artigo ou reportagem original.

Total de visualizações de página


Nosso sempre presidente Sr José Marcos e a queridíssima enfermeira Dirce

Popular no Blog

Expediente

Expediente

Blogroll

Labels

About

Link List

Blogger templates

Blogger news

Banner

Banner

Banner

Banner

Banner

Voce conhece alguém com alguma doença Reumática.

Banner

Grupo de Apoio ao Paciente Reumático de Ribeirão Preto e Região. Tecnologia do Blogger.

Newsletter Sign up

Seguidores